Sábado, 12 de Junho de 2021 19:56
(55) 99612-5337
Geral Desaparecimento

Desaparecimento do gerente do Sicredi de Anta Gorda completa um ano nesta quarta-feira

Desaparecimento do gerente do Sicredi de Anta Gorda completa um ano nesta quarta-feira

13/11/2019 18h33 Atualizada há 2 anos
20
Por: Redação
Desaparecimento do gerente do Sicredi de Anta Gorda completa um ano nesta quarta-feira

Jacir Potrich tinha 55 anos e não foi mais visto desde 13 de novembro de 2018.

Nesta quarta-feira (13) completa-se um ano do desaparecimento do gerente do Sicredi de Anta Gorda, Jacir Potrich (55). O homem sumiu entre o final da tarde e início da noite do dia 13 de novembro de 2018, após retornar para sua casa de uma pescaria. Desde que a família percebeu sua falta e realizou o registro, a Polícia Civil trabalhou no caso.

A polícia, por meio das Delegacias e Soledade e Anta Gorda, encerrou o inquérito no dia 24 de abril deste ano. Os trabalhos, que estavam sob a coordenação do delegado Marcio Marodin, foram finalizados durante o feriado de Páscoa.

De acordo com a denúncia do Ministério Público (MP), no dia do desparecimento, sozinho, Potrich retornou da pescaria às 19h07 e foi até os fundos da residência carregando um balde com peixes. Ele chegou a limpar o pescado e guardá-lo na geladeira, deixando sujas a pia, facas e uma tesoura, o que não era comum. Seu carro permaneceu na garagem, com a carteira e documentos.

A esposa, Adriane Balestreri Potrich (54) estava em Passo Fundo, visitando o filho do casal e só percebeu o desaparecimento na manhã seguinte, quando o marido não atendeu o telefone. A partir dali, começaram as buscas. Um açude chegou a ser esvaziado. A família ofereceu recompensa de R$ 50 mil para quem tivesse alguma informação sobre o paradeiro do bancário. A polícia investigou diferentes hipóteses.

Vizinho e amigo do gerente por anos, Carlos Alberto Weber Patussi (52), foi preso duas vezes. Acusado de ter matado Potrich, em razão de uma desavença, ele tornou-se réu por homicídio e ocultação de cadáver. Contudo, a ação foi suspensa pelo Tribunal de Justiça (TJ) do Rio Grande do Sul. O MP recorreu da decisão e, após análise do TJ, o processo pode chegar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). O dentista está em liberdade e nega envolvimento no sumiço.

Fonte Rádio Independente

Foto internet Divulgação Arquivo / Pessoal

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias