Segunda, 14 de Junho de 2021 02:22
(55) 99612-5337
Geral Protesto

Protesto de servidores acaba em confronto entre manifestantes e polícia em Porto Alegre

Protesto de servidores acaba em confronto entre manifestantes e polícia em Porto Alegre

26/11/2019 23h42 Atualizada há 2 anos
24
Por: Redação
Protesto de servidores acaba em confronto entre manifestantes e polícia em Porto Alegre

O protesto de professores e outros servidores públicos contra o pacote do governador Eduardo Leite (PSDB), em frente ao Palácio Piratini, no Centro de Porto Alegre, teve confronto entre manifestantes e Brigada Militar.

Onze pessoas ficaram feridas, entre alunos e professores, e foram levadas ao Hospital de Pronto-Socorro (HPS), segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (Cpers) diz que, entre elas, estão três membros da direção central.

A intervenção da tropa de choque iniciou quando alguns grevistas derrubaram a barreira e tentaram entrar junto à comissão de negociadores. Por volta das 16h, os policiais usaram gás de pimenta e golpes de cassetete para conter as pessoas que tentavam ingressar no prédio.

Na confusão, a presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer, foi atingida na cabeça. Ela se reuniria com o secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, que representava o governador Eduardo Leite.

Conforme a assessoria do sindicato, Helenir passou pela triagem e vai passar por uma tomografia.

"Pedimos uma audiência para entregar uma carta pedindo a retirada do projeto. Fomos recebidos com uma cacetada na cabeça do choque. Não viemos aqui para dar motivo para o governo dizer que aquela casa tem que aprovar o projeto", disse Helenir, apontando para a Assembleia Legislativa, onde tramitam oito projetos com alterações nas carreiras do funcionalismo público.

Por Jewison Cabral, Léo Saballa Jr., Matheus Beck e Janaína Lopes, G1 RS e RBS TV

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias