Quarta, 26 de Janeiro de 2022 11:08
(55) 99612-5337
34°

Pancada de chuva

Itapiranga - SC

Dólar com.

R$ 5,43

Euro

R$ 6,12

Peso Arg.

R$ 0,05

Geral Mulher

Mulher escondeu o corpo da avó em um freezer por 15 anos

Mulher escondeu o corpo da avó em um freezer por 15 anos

01/06/2020 17h19 Atualizada há 2 anos
Por: Redação
Mulher escondeu o corpo da avó em um freezer por 15 anos

Uma mulher de 61 anos da Pensilvânia/EUA foi presa na última quarta-feira (27/05), acusada de roubo e abuso de cadáver por supostamente esconder o corpo da avó morta em um freezer por 15 anos para que ela pudesse receber os benefícios da Previdência Social da mulher, informou a polícia estadual.

Cynthia Carolyn Black, do condado de York, havia dito à polícia durante sua investigação de mais de um ano que ela havia encontrado Glenora Reckford Delahay morta dentro de sua casa, na seção de Ardmore, no condado de Delaware, em março de 2004, informou a polícia.

Black carregou o corpo para o porão e o colocou no freezer porque, segundo ela, precisava da renda da previdência social da avó.

 

A avó tinha 97 anos quando morreu

Black disse à polícia que três anos após a morte de sua avó, ela mudou o freezer com o corpo para Dillsburg, no Condado de York, e usou a renda do Seguro Social para pagar a hipoteca de uma casa.

Registros públicos mostram que Black se mudou para Kralltown Road em Dillsburg por volta de 2007. A polícia disse que ela morou recentemente na South Front Street, em York Haven, no Condado de York.

A polícia do estado disse que eles foram avisados sobre um corpo em um freezer na casa de Kralltown Road em 7 de fevereiro de 2019, mas não disseram quem os contatou. Através de testes de DNA, eles determinaram que era Delahay.

De acordo com um relatório da WHTM-TV em Harrisburg, o corpo de Delahay havia sido encontrado por duas mulheres que estavam inspecionando a casa de Kralltown Road porque estavam interessadas em comprar. Os potenciais compradores disseram à polícia que estavam olhando ao redor de um anexo quando descobriram restos embrulhados em sacos de lixo e debaixo de cobertores em um freezer branco, informou a emissora de TV.

A polícia emitiu um mandado de prisão para Black na terça-feira (26), mas não disse por que a investigação levou mais de 15 meses. Ela foi presa na quarta-feira e levada ao Centro Judicial do Condado de York, onde foi processada. Ela tem uma audiência preliminar prevista para 10 de junho.

 

A fiança de Black foi fixada em US$ 50.000 sem garantia (aproximadamente R$ 268.500,00 no Brasil). Ela não pôde ser contatada por telefone e não estava claro se ela tinha um advogado

Registros públicos mostram que Glenn Black Jr., 55 anos, também morava com Cynthia Black na casa de Ardmore, na Haverford Road, perto da Ardmore Avenue, e na Kralltown Road. Ele dirigia um negócio chamado Blacks Furniture Refinishing fora de casa, mostram os registros.

Ele é mantido na Cadeia do Condado de Franklin depois de se declarar culpado de uma acusação de agressão indecente a uma pessoa substancialmente prejudicada decorrente de um incidente em fevereiro de 2018, mostram registros do tribunal.

Fonte: The Philadelphia Inquirer - Julie Shaw

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias