Terça, 18 de Maio de 2021 11:36
(55) 99612-5337
Geral SANTA CATARINA

Homem que matou cachorro e jogou em rio é condenado a quatro anos de prisão em SC

O direito de recorrer em liberdade foi negado

16/04/2021 17h43
714
Por: Redação 2 Fonte: Diário Catarinense
Ilustração
Ilustração

Um homem de 34 anos foi condenado a pena de quatro anos de prisão por agredir, matar e jogar uma cadela em um rio na cidade de Lages, na Serra Catarinense. O caso aconteceu em novembro do ano passado e homem foi preso em flagrante na época. Este foi o primeiro processo julgado na 2ª Vara Criminal da comarca de Lages depois que o crime de maus-tratos a animais domésticos teve a pena aumentada, em setembro do ano passado.Segund

o a denúncia do Ministério Público o homem matou e agrediu o animal de estimação da vizinha. O crime aconteceu na madrugada do dia 26 de novembro.

“Já era madrugada do dia 26 de novembro, quando o homem atravessou a rua para chutar, dar socos, pisões, enforcar e esconder o bichinho de pelos brancos com pintas marrons. Não satisfeito com as agressões, o acusado usou uma corda para enforcar o animal e depois jogá-lo no rio”, informa nota do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Segundo o juiz Alexandre Takaschima, o homem negou ter cometido o crime. Mas, a mulher dona do animal, gravou um vídeo em que o réu carrega um cachorro com as mesmas características do animal de estimação dela que tinha sumido. Imagens de uma câmera de segurança mostram os atos violentos cometidos pelo vizinho. A cadela foi encontrada, no dia seguinte do crime, morta em um bueiro. No dia da ocorrência, policiais militares encontraram o homem com as roupas identificadas no vídeo e sujas de sangue.

Na decisão, o juiz levou em conta que o crime aconteceu durante a madrugada, o que dificultou o auxílio à cachorra, com a ocultação do corpo do animal e a violência em que foi praticado. O juiz também aplicou a agravante da reincidência para aumentar a pena, uma vez que o réu responde a outros processos.  O homem está preso no Presídio Masculino de Lages. O direito de recorrer em liberdade foi negado.
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias